LEGAL NOTE

NOTAS JURÍDICAS



QUINTA ALTAMIRA - Locação Turística, Lda.
Caloura
9560-211 Água de Pau (Açores)
Portugal

Tel.: 00351 296 913 382

quintaaltamira@mail.telepac.pt
www.quintaaltamira.de


Responsável segundo §: Mechtild und Sönke Hormann
NIPC: PT512053294, Matricula C.R.C. Lagoa (Açores):115



DISCLAIMER




1. Limitação da responsabilidade

Os conteúdos deste website são criados com o maior cuidado possível. No entanto, o fornecedor não garante a exactidão, exaustividade e actualidade do conteúdo fornecido. A utilização do conteúdo do site é feita por conta e risco do utilizador. As contribuições identificadas pelo nome reflectem a opinião do respectivo autor e nem sempre a opinião do prestador. A simples utilização do sítio Web do prestador não constitui uma relação contratual entre o utilizador e o prestador.

2. Ligações externas

Este website contém links para websites de terceiros ("links externos"). Estes sites estão sujeitos à responsabilidade dos respectivos operadores. Quando as ligações externas foram estabelecidas pela primeira vez, o fornecedor verificou o conteúdo externo em busca de possíveis violações legais. Nessa altura, não eram evidentes quaisquer violações da lei. O fornecedor não tem qualquer influência na concepção actual e futura e no conteúdo dos sítios ligados. O estabelecimento de ligações externas não significa que o fornecedor adopte o conteúdo por detrás da referência ou ligação como seu. Não se pode razoavelmente esperar que o prestador verifique constantemente as ligações externas sem provas concretas de violações da lei. No entanto, se as violações da lei forem conhecidas, essas ligações externas serão imediatamente suprimidas.

3. Direitos de autor e direitos conexos

Os conteúdos publicados neste site estão sujeitos à legislação alemã em matéria de direitos de autor e direitos conexos. Qualquer utilização não permitida pela legislação alemã em matéria de direitos de autor e direitos conexos exige o consentimento prévio por escrito do fornecedor ou do respectivo titular dos direitos. Isto aplica-se, nomeadamente, à cópia, edição, tradução, armazenamento, processamento ou reprodução de conteúdos em bases de dados ou outros meios e sistemas electrónicos. Os conteúdos e direitos de terceiros são marcados como tal. A reprodução ou transmissão não autorizada de conteúdos individuais ou páginas completas não é permitida e é punível por lei. Só é permitida a produção de cópias e downloads para uso pessoal, privado e não comercial.

A apresentação deste website em frames externos só é permitida com autorização escrita.


Este website foi traduzido com a versão gratuita do tradutor - www.DeepL.com/Translator




POLÍTICA DE PRIVACIDADE


I. Política de privacidade de acordo com a RGPD (Regulamento Geral sobre a Proteção de Dados)


Responsável em termos do regulamento de base relativo à protecção de dados e outras leis nacionais de protecção de dados dos Estados-Membros e outros regulamentos de protecção de dados é:



QUINTA ALTAMIRA - Locação Turística, Lda.
Caloura
9560-211 Água de Pau (Açores)
Portugal

Tel.: 00351 296 913 382

E-Mail: quintaaltamira@mail.telepac.pt
Webseite: https://www.quintaaltamira.de


1. Âmbito do tratamento dos dados pessoais


Por uma questão de princípio, processamos os dados pessoais dos nossos utilizadores apenas na medida do necessário para fornecer um website funcional e os nossos conteúdos e serviços. O tratamento de dados pessoais dos nossos utilizadores só se realiza regularmente com o consentimento do utilizador. É aberta uma excepção nos casos em que o consentimento prévio não possa ser obtido por razões de facto e o tratamento dos dados seja permitido por lei.


2. Base jurídica para o tratamento de dados pessoais.


Na medida em que obtivermos o consentimento da pessoa em causa para o tratamento de dados pessoais, o nº 1, primeiro parágrafo, do artigo 6º do Regulamento da UE relativo à protecção de dados (RGPD) constitui a base jurídica.


Ao tratar dados pessoais necessários para a execução de um contrato em que a pessoa em causa é parte, o artigo 6.o ,n.o 1, letra b), do RGPD serve de base jurídica. O mesmo se aplica às operações de tratamento necessárias para a execução de medidas pré-contratuais.

Na medida em que o tratamento de dados pessoais é necessário para cumprir uma obrigação legal a que a nossa empresa está sujeita, o nº 1, alínea c), do artigo 6º da RGPD serve de base jurídica.


Se interesses vitais da pessoa em causa ou de outra pessoa singular exigirem o tratamento de dados pessoais, o nº 1, alínea d), do artigo 6º do RGPD serve de base jurídica.


Se o tratamento for necessário para salvaguardar um interesse legítimo da nossa empresa ou de terceiros e se os interesses, direitos e liberdades fundamentais da pessoa em causa não prevalecerem sobre o primeiro interesse, o nº 1, alínea f), do artigo 6º da RGPD serve de base jurídica para o tratamento.


3. Apagamento de dados e duração do armazenamento


Os dados pessoais da pessoa em causa serão apagados ou bloqueados assim que a finalidade do armazenamento deixar de ser aplicável. Além disso, os dados podem ser armazenados se tal tiver sido previsto pelo legislador europeu ou nacional em regulamentos, leis ou outros regulamentos da UE a que a pessoa responsável esteja sujeita. Os dados também serão bloqueados ou apagados quando expirar um período de armazenamento previsto pelas normas acima referidas, a menos que seja necessário continuar a armazenar os dados para efeitos de celebração ou cumprimento de um contrato.



I. Disponibilização do webside e criação de ficheiros de registo


1. Descrição e âmbito do tratamento dos dados

Sempre que o nosso website é chamado, o nosso sistema recolhe automaticamente dados e informações a partir do sistema informático do computador que chama.  São recolhidos os seguintes dados:

(1) Informações sobre o tipo e a versão do programa de navegação utilizado

(2) O sistema operativo do utilizador

(3) O fornecedor de service provider do internet do utilizador

(4) O endereço IP do utilizador

(5) Data e hora de acesso

(6) Sítios Web a partir dos quais o sistema do utilizador acede ao nosso webside

(7) Sítios Web que são chamados pelo sistema do utilizador através do nosso webside

Os dados também são armazenados nos ficheiros de registo do nosso sistema. Não são afectados por este facto os endereços IP do utilizador ou outros dados que permitam atribuir os dados a um utilizador. Estes dados não são armazenados juntamente com outros dados pessoais do utilizador.


2. Base jurídica para o tratamento dos dados

A base jurídica para o armazenamento temporário dos dados é o nº 1, alínea f), do artigo 6º da RGPD.


3. Finalidade do tratamento dos dados.

O armazenamento temporário do endereço IP pelo sistema é necessário para permitir que o webside seja entregue no computador do utilizador. Para o efeito, o endereço IP do utilizador deve permanecer armazenado durante toda a sessão.


4. Duração do armazenamento

Os dados serão apagados assim que deixarem de ser necessários para os fins para que foram recolhidos. No caso da recolha de dados para o fornecimento do site, é o caso quando a respectiva sessão é concluída.


5. Possibilidade de objecção e afastamento

A recolha de dados para o fornecimento do webside e o armazenamento dos dados em ficheiros de registo é obrigatória para o funcionamento do webside. Por conseguinte, não há qualquer possibilidade de objecção por parte do utilizador.



III. Utilização de cookies


1. Descrição e âmbito do tratamento dos dados

O nosso site utiliza cookies. Os cookies são ficheiros de texto que são automaticamente armazenados localmente no browser do visitante quando um website é chamado. Este website utiliza cookies para tornar a oferta mais fácil de utilizar e funcional. Graças a estes ficheiros é possível, por exemplo, exibir numa página informações adaptadas aos interesses individuais. A utilização de cookies também permite funções relevantes para a segurança para proteger a sua privacidade. O único objectivo é, portanto, adaptar a nossa oferta aos desejos dos seus clientes da melhor forma possível e tornar a utilização do site o mais confortável possível. Ao aplicar o RGPD 2018, os webmasters são obrigados a cumprir o regulamento de base publicado em https://eu-datenschutz.org/ e a informar os seus utilizadores em conformidade sobre a recolha e avaliação dos dados. A legalidade do tratamento baseia-se no artigo 6.o do Capítulo 2 da RGPD.

Some elements of our website require that the calling browser can be identified even after a page change.

Os seguintes dados são armazenados e transmitidos nos cookies:

(1) Definições linguísticas

(2) Informações de início de sessão

O armazenamento de cookies pode ser evitado nas configurações do navegador. Por favor, leia as instruções no browser da Internet que está a utilizar.


2. Base jurídica para o tratamento de dados pessoais através de cookies é o nº 1, alínea f), do artigo 6º da RGPD.

A base jurídica para o tratamento de dados pessoais utilizando cookies para fins de análise é o nº 1, alínea a), do artigo 6º do RGPD, desde que o utilizador tenha dado o seu consentimento.


3. Finalidade do tratamento dos dados.

The purpose of using technically necessary cookies is to simplify the use of websites for users. Some functions of our website cannot be offered without the use of cookies. For these it is necessary that the browser is recognized even after a page change.

O objectivo da utilização de cookies tecnicamente necessários é simplificar a utilização dos sítios Web pelos utilizadores. Algumas funções do nosso site não podem ser oferecidas sem o uso de cookies. Para estes é necessário que o navegador seja reconhecido mesmo após uma mudança de página.

Os seguintes dados são armazenados nos cookies:

(1) Transferência das definições linguísticas

(2) Memorização dos termos de pesquisa

Os dados do utilizador recolhidos através de cookies tecnicamente necessários não são utilizados para criar perfis de utilizador.


4. Duração da armazenagem, possibilidade de objecção e retirada.

Os cookies são armazenados no computador do utilizador e transmitidos pelo utilizador para o nosso site. Por isso, como utilizador, tem total controlo sobre a utilização de cookies. Ao alterar as configurações do seu navegador de Internet, pode desactivar ou restringir a transmissão de cookies. Os cookies já armazenados podem ser apagados a qualquer momento. Isto também pode ser feito automaticamente. Se os cookies do nosso site estiverem desactivados, pode não ser possível utilizar todas as funções do site em toda a sua extensão.


5. Contacto por e-mail

No nosso site existe a possibilidade de nos contactar através do endereço de e-mail fornecido. Neste caso, os dados pessoais do utilizador transmitidos com o e-mail serão armazenados.

Neste contexto, os dados não serão transmitidos a terceiros. Os dados serão utilizados exclusivamente para o processamento da conversa.


6. Base jurídica para o tratamento dos dados

A base jurídica para o tratamento dos dados é o nº 1, alínea a), do artigo 6º da RGPD, se o utilizador tiver dado o seu consentimento.

A base jurídica para o tratamento dos dados transmitidos durante o envio de uma mensagem de correio electrónico é o nº 1, alínea f), do artigo 6º da RGPD. Se o contacto por correio electrónico se destinar à celebração de um contrato, a base jurídica adicional para o processamento é o n.º 1, alínea b), do artigo 6º da RGPD.


7. Finalidade do tratamento dos dados.

O tratamento dos dados pessoais do e-mail ou do formulário de contacto serve-nos apenas para processar o contacto. No caso de nos contactar por e-mail, isto inclui também o necessário interesse legítimo no tratamento dos dados.


8. Duração da armazenagem.

Os dados serão apagados assim que deixem de ser necessários para os fins para que foram recolhidos. Para os dados pessoais enviados por e-mail, este é o caso quando a respectiva conversa com o utilizador tiver terminado. A conversa termina quando se puder concluir, a partir das circunstâncias, que o assunto em questão foi finalmente esclarecido.


9. Possibilidade de objecção e afastamento.

O utilizador tem a possibilidade de revogar o seu consentimento para o tratamento de dados pessoais em qualquer momento. Se o utilizador nos contactar por e-mail, pode opor-se ao armazenamento dos seus dados pessoais em qualquer altura. Nesse caso, a conversa não pode ser prosseguida.

O endereço de correio electrónico a utilizar para a revogação é: quintaaltamira@mail.telepac.pt



IV. Direitos dos titulares dos dados



1. Direito de informação

Pode pedir confirmação à pessoa responsável sobre se os dados pessoais que lhe dizem respeito estão a ser processados por nós. Se esse tratamento tiver sido efectuado, pode solicitar informações ao controlador dos dados sobre o seguinte:

(1) os fins para os quais os dados pessoais são tratados

(2) as categorias de dados pessoais que são tratados;

(3) os destinatários ou categorias de destinatários a quem foram ou serão comunicados os dados pessoais que lhe dizem respeito;

(4) a duração prevista para a conservação dos dados pessoais que lhe dizem respeito ou, se não for possível fornecer pormenores específicos, critérios para determinar a duração da conservação;

(5) a existência de um direito de rectificação ou apagamento dos dados pessoais que lhe digam respeito, de um direito a que o tratamento seja limitado pelo responsável pelo tratamento ou de um direito de oposição a esse tratamento;

(6) a existência de um direito de recurso para uma autoridade de supervisão;

(7)Qualquer informação disponível sobre a fonte dos dados, se os dados pessoais não forem recolhidos junto da pessoa em causa;

(8) a existência de um processo de decisão automatizado, incluindo a definição de perfis em conformidade com os nºs 1 e 4 do artigo 22º da DPA e, pelo menos nestes casos, informações significativas sobre a lógica envolvida e o âmbito e os efeitos previstos desse tratamento para a pessoa em causa.

Tem o direito de solicitar informações sobre se os dados pessoais que lhe dizem respeito estão a ser transferidos para um país terceiro ou para uma organização internacional. Neste contexto, tem o direito de solicitar ser informado das garantias adequadas de acordo com o art.46 da DPA em relação à transferência.


2. Direito de rectificação.

Tem o direito de solicitar ao responsável pelo tratamento dos dados que os corrija e/ou complete se os dados pessoais tratados que lhe dizem respeito estiverem incorrectos ou incompletos. O responsável pelo tratamento dos dados deve proceder à correcção sem demora.


3. Direito de limitar o processamento

Nas seguintes condições, pode solicitar a restrição do tratamento dos dados pessoais que lhe dizem respeito:

(1) se contestar a exactidão dos dados pessoais que lhe dizem respeito durante um período que permita ao responsável pelo tratamento verificar a exactidão dos dados pessoais

(2) se o tratamento for ilegal e o utilizador se opuser à eliminação dos dados pessoais e, em vez disso, exigir a restrição da utilização dos dados pessoais;

(3) o responsável pelo tratamento já não necessita dos dados pessoais para efeitos do tratamento, mas necessita dos dados pessoais para efeitos de reivindicação, exercício ou defesa de um direito num processo judicial; ou

(4) se tiver apresentado uma objecção ao tratamento nos termos do nº 1 do artigo 21º da RGPD e ainda não tiver sido estabelecido se as razões legítimas do responsável pelo tratamento são superiores às suas razões.

Se o tratamento dos dados pessoais que lhe dizem respeito tiver sido limitado, esses dados só podem ser tratados, com excepção da sua conservação, com o seu consentimento ou com o objectivo de fazer valer, exercer ou defender pretensões legais ou proteger os direitos de outra pessoa singular ou colectiva ou por razões de interesse público importante da União ou de um Estado-Membro.

Se a restrição ao tratamento tiver sido restringida de acordo com as condições acima referidas, será informado pelo controlador antes de a restrição ser levantada.


4. Direito de cancelamento.

Pode solicitar ao responsável pelo tratamento que apague sem demora os dados pessoais que lhe dizem respeito, sendo este obrigado a apagar sem demora esses dados se se aplicar uma das seguintes razões:

(1) os dados pessoais que lhe dizem respeito já não são necessários para os fins para os quais foram recolhidos ou de outro modo tratados

(2) Revoga o seu consentimento em que se baseou o processamento nos termos do nº 1, alínea a), do artigo 6º ou do nº 2, alínea a), do artigo 9º do RGPD, não existindo qualquer outra base jurídica para o processamento.

(3) O utilizador apresenta uma objecção ao processamento em conformidade com o n.º 1 do artigo 21.º do RGPD e não existem razões legítimas para o processamento, ou apresenta uma objecção ao processamento em conformidade com o n.º 2 do artigo 21.

(4) Os dados pessoais que lhe dizem respeito foram tratados de forma ilegal.

(5) A supressão dos dados pessoais que lhe dizem respeito é necessária para dar cumprimento a uma obrigação jurídica decorrente do direito da União ou da legislação dos Estados-Membros a que o responsável pelo tratamento está sujeito.

(6)Os dados pessoais que lhe dizem respeito foram recolhidos em relação aos serviços da sociedade da informação oferecidos, em conformidade com o n.o 1 do artigo 8.o da RGPD.


5. Informação a terceiros

Se o responsável pelo tratamento tiver tornado públicos os dados pessoais que lhe dizem respeito e for obrigado a apagá-los nos termos do nº 1 do artigo 17º da RGPD, tomará medidas razoáveis, incluindo medidas técnicas, tendo em conta a tecnologia disponível e os custos de aplicação, para informar os responsáveis pelo tratamento dos dados que tratam os dados pessoais de que, na qualidade de pessoa em causa, lhes solicitou que apagassem todas as ligações a esses dados pessoais ou cópias ou réplicas desses dados pessoais.


6. Excepções


O direito de cancelamento não existe na medida em que o tratamento seja necessário

(1 ) sobre o exercício do direito à liberdade de expressão e de informação;

(2) cumprir uma obrigação legal de tratamento nos termos da legislação da União ou nacional a que o responsável pelo tratamento esteja sujeito ou de desempenhar uma missão de interesse público ou no exercício da autoridade pública de que é investido o responsável pelo tratamento;

(3) por razões de interesse público no domínio da saúde pública, em conformidade com o nº 2, alíneas h) e i), do artigo 9º e o nº 3 do artigo 9º da RGPD;

(4) para fins de arquivo, investigação científica ou histórica no interesse público ou para fins estatísticos, em conformidade com o nº 1 do artigo 89º do RGPD, na medida em que a lei referida na alínea a) seja susceptível de tornar impossível ou de prejudicar seriamente a realização dos objectivos desse tratamento, ou

(5) para fazer valer, exercer ou defender acções judiciais.



7. Direito à informação.

Se tiver exercido o direito de rectificar, apagar ou limitar o tratamento de dados pessoais, deve notificar o responsável pelo tratamento dessa rectificação, apagamento ou limitação do tratamento a todos os destinatários a quem os dados pessoais que lhe dizem respeito tenham sido comunicados, a menos que tal se revele impossível ou implique um esforço desproporcionado; tem o direito de ser informado sobre esses destinatários pelo responsável pelo tratamento.


8. Direito à transferibilidade de dados.

Tem o direito de receber os dados pessoais que lhe dizem respeito que forneceu ao responsável pelo tratamento de dados num formato estruturado, comum e legível por máquina. Tem igualmente direito a que estes dados sejam comunicados a outra pessoa responsável sem interferência da pessoa responsável a quem os dados pessoais tenham sido comunicados, desde que

(1) o tratamento é baseado numa autorização nos termos do nº 1, alínea a), do artigo 6º da RGPD ou do nº 2, alínea a), do artigo 9º da RGPD ou num contrato nos termos do nº 1, alínea b), do artigo 6º da RGPD e

(2) o tratamento é efectuado através de procedimentos automatizados.

No exercício deste direito, tem também o direito de obter que os dados pessoais que lhe dizem respeito sejam transferidos directamente de um responsável pelo tratamento para outro, na medida em que tal seja tecnicamente viável. As liberdades e os direitos das outras pessoas não devem ser afectados por esta situação. O direito à transferibilidade de dados não se aplica ao tratamento de dados pessoais necessários ao desempenho de uma tarefa de interesse público ou ao exercício da autoridade pública de que é investido o responsável pelo tratamento.


9. Direito de oposição.

O utilizador tem o direito de, a qualquer momento, por razões decorrentes da sua situação particular, se opor ao tratamento dos dados pessoais que lhe dizem respeito, efectuado com base no nº 1, alínea e) ou f), do artigo 6º da DPA; o mesmo se aplica ao estabelecimento de perfis com base nestas disposições.

O responsável pelo tratamento deixa de tratar os dados pessoais que lhe dizem respeito, a menos que possa demonstrar razões imperiosas para o tratamento que se justifiquem por razões de protecção dos seus interesses, direitos e liberdades, ou se o tratamento servir para fazer valer, exercer ou defender pretensões legais.

Se os dados pessoais que lhe dizem respeito forem tratados para efeitos de marketing directo, tem o direito de se opor, a qualquer momento, ao tratamento dos dados pessoais que lhe dizem respeito para efeitos desse marketing, incluindo a definição de perfis, na medida em que estes estejam ligados a esse marketing directo.

Se se opuser ao processamento para fins de marketing directo, os dados pessoais que lhe dizem respeito deixarão de ser processados para esses fins.

Tem a possibilidade de exercer o seu direito de objecção relativamente à utilização dos serviços da sociedade da informação, sem prejuízo do disposto na Directiva 2002/58/CE, utilizando procedimentos automatizados que envolvem especificações técnicas.


11. Decisão automatizada caso a caso, incluindo a definição de perfis.

Tem o direito de não estar sujeito a uma decisão baseada unicamente no tratamento automatizado, incluindo a definição de perfis, que tenha efeitos legais ou que o afecte de forma significativa de forma semelhante. Esta disposição não se aplica se a decisão

(1) é necessário para a celebração ou execução de um contrato entre o cliente e a pessoa responsável

(2)for autorizado pelo direito da União ou pela legislação dos Estados-Membros a que o responsável está sujeito e essa legislação preveja medidas adequadas para salvaguardar os seus direitos e liberdades e os seus legítimos interesses; ou

(3) com o seu consentimento expresso.

Contudo, estas decisões não podem basear-se em categorias especiais de dados pessoais em conformidade com o nº 1 do artigo 9º do RGPD, salvo se o nº 2, alíneas a) ou g), do artigo 9º do RGPD for aplicável e se tiverem sido tomadas medidas adequadas para proteger os direitos e liberdades e os seus legítimos interesses.

Nos casos referidos nos n.os 1 e 3, a pessoa responsável tomará as medidas adequadas para salvaguardar os direitos e liberdades e os seus legítimos interesses, que incluem, pelo menos, o direito de obter a intervenção de qualquer pessoa da pessoa responsável, de exprimir o seu ponto de vista e de contestar a decisão.


12. Direito de recurso para uma autoridade de supervisão.

Sem prejuízo de qualquer outro recurso administrativo ou judicial, tem o direito de apresentar queixa a uma autoridade de controlo, nomeadamente no Estado-Membro em que reside, no seu local de trabalho ou no local da alegada infracção, se considerar que o tratamento dos dados pessoais que lhe dizem respeito viola o disposto na RGPD.

A autoridade de supervisão a que a queixa tenha sido apresentada informará o queixoso do estatuto e dos resultados da queixa, incluindo a possibilidade de recurso judicial nos termos do artigo 78.o do RGPD.



...para cima 



Apartamentos Turisticos Quinta Altamira - Caloura

9560-211 Água de Pau, Açores, Portugal

Tel. +351 296 913 382

E-Mail: quintaaltamira@mail.telepac.pt

Impressum -Datenschutz

© All Rights Reserved

Este site utiliza cookies. Ao clicar em 'Concordar' aceita o nosso uso de cookies.

Saiba mais
Aceitar